21 de nov de 2010

P.S. Cuidado!

Nunca assista P.S. I Love You quando estiver namorando por medo de que ele morra.
Nunca assista P.S. I Love You quando estiver sozinha por medo de continuar estando.

20 de nov de 2010

VAI PLANETA!!!

Hoje está acontecendo em $P mais uma edição do festival (mais indie do que nunca) Planeta Terra.
Apesar de sempre estar disposta à shows e odiar festivais (e isso não me soa uma dualidade) gostaria de ter ido pelo simples fato de poder me reunir com a grande quantidade de amigos de todo canto do Brasil que migraram pra Megalópole com o intuito de curtir, ver, ouvir os shows que vão rolar essa noite.
Gosto de todas as bandas que irão tocar, mas nenhuma delas me faz gastar mais de R$100 pra assistí-las, portanto cá estou na minha amada ilha da magia, como se nada estivesse acontecendo.
Tá, eu sei que acabei de dizer "como se nada estivesse acontecendo", mas está! e meus amigos me mandam e-mails debatendo qual das músicas será mais legal de ouvir/ver.
Escolhi algumas, escolha a sua tbm:


  1. Tem a nova do SMASHING PUMPKINS:


    2. Tem a que é motivo de discórdia até hoje entre SMASHING PUMPKINS e PAVEMENT:



   3. Tem o inglês afrancesado do PHOENIX, que segundo meu roomate Jão, "Lizstomenia" é a música mais tocada do ano:



   4. Tem os descoladinhos do PASSION PIT:



    5. Tem os coloridos (que não tem nada a ver com Restart) do OF MONTREAL:



    6. Tem a banda de nome esquisito (YEASAYER) que faz exigências mais esquisitas ainda:



    7. Tem aquela que todos os meus amigos querem ver (HOT CHIP):



    8. Tem MIKA!!!



    9. Tem sotaque australiano com EMPIRE OF THE SUN que não gosta de disponibilizar url:



    10. Tem aqueles que eu não posso deixar de citar, o HURTMOLD. Eu gostava muito dessa banda lá pelos idos do começo de 2000, mas aí não fui mais atrás. Depois soube que eles são a banda de apoio do Marcelo Camelo e quando vi que eles vão se apresentar hoje achei demais!



Ah, ainda tem muito mais. Quer saber o que você também vai perder hoje?
Veja aqui.

21 de out de 2010

tenho tanto pra falar sobre Recife e Los Hermanos...mas só semana que vem!
Essa semana to na correria!

20 de set de 2010

A ARTE DO ROMANCE (parte I)

Como podem me dizer que eu não sou romântica quando acumulo em mim quase todos os meus amores?
Como podem me dizer que me falta romantismo quando mesmo seguindo a vida, espero, por toda a vida, uma atitude de alguém?
Eu desempenho meu papel de amar, mas o amor não desempenha o seu comigo. Ou pelo menos só me visita de vez em quando,enquanto eu me reservo a esperá-lo.
Isso até podem me apontar. Não fico por aí procurando a arte do romance em todos os rostos que me aparecem. Mas isso não faz de mim alguém que não sabe amar.
Sou libra, com ascendente em aquário. Não entendo nada disso, mas minha amiga e o mapa astral online me dizem que sou uma pessoa que AMA. "Bem, o libriano precisa do amor como do ar para viver. Ele é afetuoso, carinhoso e retribui o afeto de maneira contagiosa. Eles amam o amor pelo amor."
Viu? Eu sei amar. Sei ser romântica. Só não uso isso com você.

27 de ago de 2010

GARÇOM, SEM GELO POR FAVOR!

Mais um dia de bar em bar,
Mais um dia eu explodo
Já cansei de tentar achar resposta para tudo em mim!

Engraçado me perguntar,
Se eu ainda estou vivo
Mais um ano se foi e eu não perdi nenhum dia

Sabe, se eu pudesse te mostrar o meu mundo
Talvez nossas vidas fizessem sentido lado a lado
Sabe, se eu pudesse explicar, o que eu sinto
Talvez os meus versos fossem menos confusos para você
Pra você

Hoje eu acho melhor parar aqui,
Feche a conta eu preciso ir,
Não faz parte de mim agir assim, como você quer
Se eu pudesse não voltar aqui,
Não foi assim que eu imaginei

Sabe, se eu pudesse te mostrar, o meu mundo
Talvez nossas vidas fizessem sentido lado a lado
Sabe, se eu pudesse explicar, o que eu sinto
Talvez os meus versos fossem menos confusos para você
Pra você

Mais um ano, eu ainda aqui
Mais um beijo, eu te deixo ir,
Não foi assim que eu imaginei




Quer ouvir? Garçom, sem gelo por favor! [Noção de Nada]

13 de mai de 2010

EMBRIAGAI-VOS

"É necessário estar sempre bêbado. Tudo se resume a isso, eis o único problema. Para não sentir o fardo horrível do tempo, que abate e faz pender a terra, é preciso que nos embriaguemos sem cessar. Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude, como achar melhor. Contanto que nos embriaguemos.

E se, algumas vezes, nos degraus de um palácio, na verde relva de um fosso, na desolada solidão do nosso quarto, você despertar com a embriaguez já atenuada ou desaparecida , pergunta ao vento, à onda, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo o que foge, a tudo o que geme, a tudo o que rola, a tudo o que canta, a tudo o que fala, pergunta-lhes que horas são; e o vento, e a onda, e a estrela, e o pássaro, e o relógio, hão de vos responder.

- É a hora da embriaguez! Para não ser martirizado pelo tempo, embriagai-te. Embriaga-te sem tréguas.
De vinho, de poesia, ou de virtude, como achar melhor".


Charles Baudelaire



10 de mai de 2010

SEGURANÇA

O ponto de venda mais forte do condomínio era a sua segurança.
Havia as belas casas, os jardins, os playgrounds, as piscinas, mas havia, acima de tudo, segurança.

Toda a área era cercada por um muro alto. Havia um portão principal com muitos guardas que controlavam tudo por um circuito fechado de TV Só entravam no condomínio os proprietários e visitantes devidamente identificados e crachados.
Mas os assaltos começaram assim mesmo. Ladrões pulavam os muros e assaltavam as casas.
Os condôminos decidiram colocar torres com guardas ao longo do muro alto.
Nos quatro lados. As inspeções tornaram-se mais rigorosas no portão de entrada. Agora não só os visitantes eram obrigados a usar crachá.
Os proprietários e seus familiares também. Não passava ninguém pelo portão sem se identificar para a guarda. Nem as babás. Nem os bebês.
Mas os assaltos continuaram.
Decidiram eletrificar os muros.
Houve protestos, mas no fim todos concordaram. O mais importante era a segurança. Quem tocasse no fio de alta tensão em cima do muro morreria eletrocutado. Se não morresse, atrairia para o local um batalhão de guardas com ordens de atirar para matar.
Mas os assaltos continuaram.
Grades nas janelas de todas as casas. Era o jeito. Mesmo se os ladrões ultrapassassem os altos muros, e o fio de alta tensão, e as patrulhas, e os cachorros, e a segunda cerca, de arame farpado, erguida dentro do perímetro, não conseguiriam entrar nas casas.
Todas as janelas foram engradadas.
Mas os assaltos continuaram.
Foi feito um apelo para que as pessoas saíssem de casa o mínimo possível.
Dois assaltantes tinham entrado no condomínio no banco de trás do carro de um proprietário, com um revólver apontado para a sua nuca. Assaltaram a casa, depois saíram no carro roubado, com crachás roubados. Além do controle das entradas, passou a ser feito um rigoroso controle das saídas.
Para sair, só com um exame demorado do crachá e com autorização expressa da guarda, que não queria conversa nem aceitava suborno.
Mas os assaltos continuaram.
Foi reforçada a guarda. Construíram uma terceira cerca. As famílias de mais posses, com mais coisas para serem roubadas, mudaramse para uma chamada área de segurança máxima. E foi tomada uma medida extrema.
Ninguém pode entrar no condomínio. Ninguém. Visitas, só num local predeterminado pela guarda, sob sua severa vigilância e por curtos períodos.
E ninguém pode sair.
Agora, a segurança é completa.
Não tem havido mais assaltos.
Ninguém precisa temer pelo seu patrimônio. Os ladrões que passam pela calçada só conseguem espiar através do grande portão de ferro e talvez avistar um ou outro condômino agarrado às grades da sua casa, olhando melancolicamente para a rua.
Mas surgiu outro problema.
As tentativas de fuga. E há motins constantes de condôminos que tentam de qualquer maneira atingir a liberdade.
A guarda tem sido obrigada a agir com energia.



(Luis Fernando Veríssimo)

9 de mai de 2010

DIA DA MINHA MÃE (E DA SUA TAMBÉM)


MÃE...
São três letras apenas,
As desse nome bendito:
Três letrinhas,nada mais...
E nelas cabe o infinito
E palavra tão pequena-confessam mesmo os ateus-
És do tamanho do céu
E apenas menor do que Deus!"
Mário Quintana


5 de mai de 2010

SOBRE AMIGOS, HORMÔNIOS E MSN

Diogo Cesar diz:
 danieeeelaaa
.Daniela Estevam diz:
 oi meu amor
Diogo Cesar diz:
 tudo bem?
.Daniela Estevam diz:
 tudo médio
Diogo Cesar diz:
 pq?
.Daniela Estevam diz:
 pq ninguém me ama
Diogo Cesar diz:
 ninguém?
.Daniela Estevam diz:
 tirando alguns bons amigos, como vc...
Diogo Cesar diz:
  S2
 isso
.Daniela Estevam diz:
 mas eu digo ninguém pq não consigo achar ninguém que eu goste e me interesse de verdade
 hahaha
Diogo Cesar diz:
 hahaha
.Daniela Estevam diz:
 mas é verdade
 saco
Diogo Cesar diz:
 eu entendo
 sério
 mas é assim que funciona mesmo
.Daniela Estevam diz:
:/ 
Diogo Cesar diz:
 por isso existem os jogos e mecanismos de sedução
 pra pessoa que não sabe que vc existe passar a não viver sem vc
 e recentemente aprendi que
 só porque uma pessoa não te ama como vc gostaria
 não significa que ela não te ame o máximo que ela é capaz
.Daniela Estevam diz:
 ta, tudo bem...mas ninguém me ama, nem na sua capacidade máxima, nem na minha.
Diogo Cesar diz:
 eu sim
  S2
 mas acho que nao te serve de consolo
.Daniela Estevam diz:
 hahaha, eu sei que vc me ama. Mas não serve mesmo...
 e tem isso tbm
 as pessoas que realmente me conhecem, me amam (pq eu sou mto legal) hihihi :P
e pq as outras não me dão a chance de eu me mostrar como realmente sou?
não só na balada, ou não só na internet, ou não só em coisas faikes, que vc se mostra pela metade, sabe?
Diogo Cesar diz:
Daniela Pereira, as pessoas sao idiotas e ignorantes
precisam que as coisas sejam bem esmiuçadas e explicadas
.Daniela Estevam diz:
 mas eu sempre tento conhecer as pessoas que eu me relaciono (não só amorosamente, mas de amizades tbm) desse jeito, sabe? Gosto de saber como elas são pra várias situações da vida, pq ninguém é totalmente legal ou cool como se mostra na balada, ninguém é tão querido como se parece na internet...acho que conhecendo o "defeito" das pessoas vc acaba de uma maneira ou outra conhecendo melhor e aceitando ou não o que ela tem pra te oferecer, seja na amizade ou no amor
Diogo Cesar diz:
 entendo
.Daniela Estevam diz:
 é por isso que não to me sentindo amada. Não tem ninguém que queira me conhecer
.Daniela Estevam diz:
 ja volto
.Daniela Estevam diz:
 oi bem
 fui ao médico
 minha saúde tá ótima :)
Diogo Cesar diz:
 e tudo bem?
 ah, que ótimo
.Daniela Estevam diz:
 mas ele me mandou sair de casa e estar aberta a conhecer pessoas, haha...
 ele é homeopata
 e ficou fazendo mil perguntas sobre a minha vida.
Esses médicos....

8 de abr de 2010

MAIS DO MESMO

Eu sou uma em uma só, ou sou várias em várias pessoas.
Consigo me achar na amizade do ônibus, no cara que me vende pipoca, no meu melhor amigo da vida inteira da internet (o qual eu nunca  vi na vida) naquela minha melhor amiga de todos os anos, que teima em ser minha melhor amiga mesmo que a gente tenha mudado tanto que nem se reconheça mais (e agradeço todos os dias por ela insistir tanto), naquela pessoa que eu conheço a dias, meses, anos e que é tão especial que eu não poderia viver sem.
Estou presente nessas pessoas com um pouquinho de mim em cada uma. Porque me dôo de coração a tudo que faço e faço um pouco de tudo com o maior carinho do mundo.
Tenho meus amigos do HC que jamais esquecerei. São poucos e bons os amigos que acompanharam aquela ridícula adolescência e ainda hoje me fazem ir a shows de hard core pra me ver e ouvir dizer que tenho saudades.
Tenho os amigos das várias cidades que passei. Aqueles que trocaram email, msn, me adicionaram em todas as redes sociais que encontrei e que me fazem sentar a frente do computador e escrever emails sobre como estou me sentindo no dia de hoje.
Tenho aqueles amigos que me vêem durante o dia. Ligam, almoçam, jantam, me empurram pra vida social e que eu realmente não tenho ideia de como seria a minha vida sem eles.
Em todos eles eu me encontro um pouquinho e deixo também um pouco de mim.
Então você sinta-se amigo. Beije, abrace, me mande um email, porque eu vou adorar te chamar de MEU AMIGO!

5 de abr de 2010

JOHN FRUSCIANTE

John Frusciante é daqueles que eu ouço, ouço, mas ouço taaanto que depois fico um bom tempo sem ouvir, aí volta o ciclo. To numa dessas voltas. Amando, apaixonada por ele, esse "homem de fases"
JF é sim um homem de fases. Passou do desconhecido pra fama, foi até o fim do túnel com a heroína, entrou e saiu do Red Hot Chilli Peppers algumas vezes.
No meio de tudo isso ele sempre teve um lado solitário, de querer se descobrir e fazer as coisas por ele mesmo. Daí sua carreira solo.
Ouvindo os discos dele dá pra sentir algumas de suas fases. Tem disco depressivo, tem disco falando sobre renascimento e descoberta, tem disco que é pura conversa dele com sua amiga (ou ex-amiga) heroina.
O que eu mais gosto, se é que eu consigo mesmo definir isso é o Curtains, que mostra uma dessas fases de renascimento, onde ele se solta e demonstra o que é e o que pensa, apesar da melancolia das músicas.
Então um pouquinho de Frusciante pra vocês:










MEU ANIVERSÁRIO É 18 de OUTUBRO!!!

Agora já sei o que eu quero ganhar de aniversário!
http://g1.globo.com/Noticias/Musica/0,,MUL1554692-7085,00-FRANCES+ILUSTRA+HISTORIAS+DO+ROCK+EM+HQ.html

DJ SET por GUSTAVO BONFIGLIOLI

Seu nome é Gustavo Bonfiglioli, porém ele pode ser conhecido por inúmeros outros apelidinhos da vida. Contudo isso não é importante. O que importa aqui é que desde o ano passado ele vem se aventurando nas pick-ups em baladas alternativas de Florianópolis e arrastando pessoas pra remexer seus quadrizinhos enferrujados. Agora ele gravou uma mix-tape para mostrar aos que não costumam frequentar essas baladas o que  estão perdendo.
Taí:
http://soundcloud.com/gbonfiglioli/mixtape-improvisada

29 de mar de 2010

Mais que dois...


A boca continuava seca. Fechada. O restante do rosto fachada ainda não me vira e muito menos me veria. Minha insistência em lamentar meu olho sobre ela não surtiu algum resultado. Era ou linda demais, ou uma farsa, daquelas que só se descobre quando já se perdeu todo o tempo do mundo, mas tempo era o que eu mais tinha. A ponta dos seus dedos, de tempo em tempo, lambia o rodapé das páginas e as deixava para trás, como ela certamente fazia com tudo na vida. Aquele livro lhe era agradável. A minha leitura dela lendo era me irritante. Com a outra mão, buscava a xícara que soltava um calor claro sobre sua boca. A boca molha. Ela retorna a xícara à mesa, lambe a página com os dedos mais uma vez e continua a ler. Seria necessário para mim mais do que um simples ruído para chamar a atenção. Desejava o seu olhar, sua boca, quem sabe a voz. Qual o desgraçado motivo de eu não ter ao menos o poder da mente para fazer com que ela me note. Ela puxa uma caneta e anota algo no papel. Fico curioso. Por que não tenho o poder de ler pensamentos. Não vi nem ao menos a capa do livro, para saber o assunto. Quem sabe eu poderia chegar até ela e dizer algo interessante, quem sabe eu poderia esbarrar no garçom e derrubar um suco qualquer nela e depois insistir que o culpado fora eu, que eu pagaria para ela um novo vestido e se ela quisesse, poderia até lhe dar um carro, uma casa, uma família, filhos, netos... Por que eu não tenho o poder?

Ali continua ela, alguns minutos, quem sabe horas e ainda não desviou o olhar para mim. Cheguei até a ter a certeza de que estaria morto. Um fantasma insignificante que se sente preso ao desprezo de alguém. Vira mais uma página. Dá mais um gole. Repete-se e não inova, não me olha. Olha... olha... - continuo insistindo com a mente - e ela não responde. Quem sabe eu pudesse chegar até ela e dizer - olha, eu estava te olhando e queria o seu olhar olhando o meu olhar também - patético. A música pára, o mundo pára e ela não... Não me canso. A luta por atenção vira obsessão, vira descrédito, que vira luta, que vira força, que se perde nas dúvidas e nos medos. Mais uma vez busca um papel e anota. O garçom lhe traz a nota. Ela não me olha e levanta-se. Passa pelo caixa, olha-o, sorri e lhe entrega um papel anotado. Fala algo e vai embora. Mergulho meu olho no meu café já frio. O garçom vem até mim e me dá um papel com a letra feminina: "demorou". Foi aí que descobri que as mulheres têm mais que dois olhos...



                                              [Texto de Walter Henrique Comine Maldonado.]

23 de mar de 2010

FELIZ ANIVERSÁRIO, GONAS!


Para minhas Gonas roqueiras Ali Vidal e Bá Godoy. Uma velinha pra cada uma. Amo vocês...




Soneto de aniversário

Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.

Faça-se a carne mais envilecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.

Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.

E eu te direi: amiga minha, esquece...
Que grande é este amor meu de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece. 


                                                      (Vinícius de Moraes) 

11 de mar de 2010

REDAÇÃO

Eu só quero avisar que estou fazendo aula de Redação e técnicas de interpretação de texto. Isso quer dizer que supostamente eu vou melhorar meus textos e escrita. Melhor pra mim. Melhor pra vocês.

xxx

27 de fev de 2010

23 de fev de 2010

E O QUE EU FAÇO COM ESSA MULHER NO CHÃO?

Estou escrevendo para relatar algo que aconteceu hoje e que me deixou muito indignada.
Ao meio dia fui com meu pai à sede da Prefeitura de Criciúma resolver uns problemas burocráticos. Estava muito calor e na parte térrea do prédio não há ar-condicionado. Não havia muitas pessoas e procuramos logo um lugar pra sentar e esperar nossa senha ser chamada. Foi então que ouvi um barulho, olhei pra trás e vi uma mulher caída ao chão. Em segundos todas as pessoas que estavam por ali rodeavam a mulher. O segurança tentou colocá-la sentada e ela caiu de novo e começou a dizer, ou tentar dizer, porque nessa hora ela tremia e parecia até estar tendo uma convulsão, que o coração estava doendo: “Ai meu coração!”, dizia ela. Eu de pronto peguei o celular e liguei para o 192 (SAMU) que imagino nessas horas ser o serviço mais apropriado para se ligar, e qual a minha surpresa quando a atendente me responde: “As duas ambulâncias que temos que atende Criciúma estão quebradas, não podemos fazer nada” e eu ainda pergunto: “E o que eu faço com essa moça aqui caída ao chão?” Mas não ouço resposta do outro lado da linha, só silêncio. Então meu pai começou a ligar para 193 (Corpo de Bombeiros) e a linha estava sempre ocupada. Nesse meio tempo um senhor abanava a moça caída sem parar e foram chamar alguém do Departamento da Saúde, como se as pessoas que trabalham na Secretaria da Saúde fossem obrigadas a saber lidar com essa situação. Que eu saiba elas só precisam fazer o concurso público da prefeitura. Meu pai continuava tentando ligar para o Corpo de Bombeiros. Ele fez 36, sim eu disse 36 tentativas e não conseguiu a ligação pelo 193. De repente chegou uma ambulância do mesmo Corpo de Bombeiros, aí me pergunto se na Prefeitura eles tem um outro número além do 193 ou se alguém que estava lá conseguiu completar a chamada que meu pai não conseguiu em 36 tentativas, e fizeram os primeiros socorros e tudo que deveria ser feito.
Não sei relatar o desfecho da situação pois me ausentei do local. Mas eu fico me perguntando se um lugar público, onde tantas pessoas circulam não deveria ter uma equipe treinada de primeiros socorros? E por que uma cidade como Criciúma, com quase 200mil habitantes tem apenas duas ambulâncias de SAMU e as duas estão quebradas? O que eu posso fazer então se eu, você ou alguém do seu lado passar mal no meio da rua ou até na minha própria casa?
Escrevi para que divulguem, para que os devidos órgãos tomem alguma providência em relação as ambulâncias, as linhas de atendimento de emergência e a atenção com a sociedade.
Obrigada,
Daniela Estevam

Enviei esta carta via email para um Jornal e uma Rádio influentes da cidade. Torço para que divulguem para que os responsáveis façam algo e que a população não pague mais pelo descaso destas pessoas.

14 de jan de 2010

The Curious Case of Benjamin Button

Sobre o fazer uma escolha e poder mudar de idéia, e quando mudar, não ter medo de jogar tudo pro alto e começar de novo...porque sempre há tempo para recomeçar. E não viver infeliz e escolher ser feliz.
Sobre o amor e as várias formas de amar, mesmo que de longe e pra sempre...

8 de jan de 2010

Viva mais em 2010!

Recebi esse cartão por email de um site que admnistra sebos em todo o Brasil (recomendo, todos os livros que comprei lá estavam bons) e achei que valia a pena postar...

6 de jan de 2010




Começo o ano com várias resoluções, idéias e vontades.
Começo o ano com novos amigos e com a dorzinha no estômago de lembrar que muitos esse ano alçarão asas para uma nova etapa. Desejo à todos o melhor que se pode desejar e toda a minha amizade e ajuda no que for preciso.
Começo o ano ouvindo músicas novas, lendo outros livros, indo a praia.
Começo o ano com duas plantas em minha casa e a dúvida se terei que me mudar ou não.
Começo o ano me despedindo: dos meus pacientes, de algumas amizades, do meu trabalho...algumas coisas sentirei falta, outras, confesso que não.
Começo o ano querendo uma câmera nova, um ipod novo (ou um iphone) e um psp2.
Começo o ano querendo viajar, conhecer mais e mais pessoas e reencontrar antigos amigos.
Começo o ano não usando orkut, mas totalmente viciada em facebook e twitter.
Começo o ano querendo escrever mais e querendo que você me leia.