22 de abr de 2009

A CURIOSIDADE MATOU O RATO

Tomo um café e sento a cama, pois sofá se fez um luxo desnecessário neste momento.
Alguns canais emprestáveis, alguns textos com letras embaralhadas e a tela do computador que teima em piscar em laranja.
Os dedos doem, tremem ao teclado.
Nada do que não deveria ser observado poderia estar sob livre acesso.
Ou também a curiosidade humana, esse mal que me atinge, me colocaria nesta situação.
Algumas antigas ideias vão sendo sepultadas neste momento. Por motivos óbvios alguns pensamentos também o serão, apesar da cisma em estarem sempre tentando arrumar um cantinho para que eles possam ficar por ali. Pra sempre? Tomara que não...
Aos poucos vou me convencendo de que não vale a pena cair a tentação,
e volto aos textos e as letras que vão se desembaralhando e criando algum sentido agora.
Mais um café, é claro que eu afim.
Por que que a gente é assim?

Um comentário:

NOTE disse...

Como é difícil chegar a uma conclusão... eu entendo!