30 de jun de 2011

Riscado


A semana toda está acontecendo aqui em Florianópolis o 15º FAM (Florianópolis Audiovisual Mercosul). O evento conta com exposições, oficinas, fóruns de debate, apresentações de curta e longa metragens, além de vários eventos paralelos pela ilha. Algumas mostras são competitivas, outras apenas de apresentação.
Ontem a noite fui com uma amiga assistir a um longa metragem brasileiro: Riscado. 
Um filme lindo, gostoso de assistir. Que nos envolve com a vida da protagonista. Recomendo o filme e recomendo que todos participem do evento, que é gratuito à população.
Sinopse: (retirada daqui)
Qual a importância da sorte na vida? Quanto esforço e talento são necessários para garantir uma carreira sólida? A sorte é parte do riscado? Bianca é uma excelente atriz, mas sua carreira ainda não deslanchou. Como ganha-pão, ela imita divas do cinema e trabalha divulgando eventos. Após fazer um teste para uma grande produção internacional, Bianca finalmente ganha o papel. Inspirado pela personalidade e o trabalho dela, o diretor do filme transforma a personagem do seu roteiro, em uma versão da própria Bianca, que será uma das protagonistas. Essa é a grande chance de sua vida?

15 de jun de 2011

cotidiano

Todo dia ela acorda
Todo dia ela caminha
Todo dia ela pega o mesmo ônibus.

Todo dia ele acorda
Todo dia ele dirige pela mesma estrada
Todo dia ele ouve o mesmo noticiário

O fone no ouvido
O barulho da rua despercebido
E o pensamento voando longe

As caixas de som
A mesma repetição
E o pensamento voando longe

Todo dia ela volta no mesmo horário
Todo dia ela põe seu pijama listrado
Todo dia ela deita sem conclusão

Todo dia ele passa no supermercado
Todo dia ele bebe tentando esquecer
Todo dia o dia dele termina sem conclusão

13 de jun de 2011

a arte de ouvir Roberto Carlos

Os hormônios femininos são um universo inexplicável. 
Num dia eles te fazem querer mofar na cama, comendo tudo o que vê na frente, se sentindo gorda, descartável, desanimada...aí de repente tu acorda, abre a janela, vê o sol e levanta, toma um banho e sai de casa achando que está chamando atenção de todos os homens pela rua. É a gata da vez! 
Há também os dias em que você só quer ouvir aquela música que conta a sua história - sim, porque todas as músicas românticas, bem dor de cotovelo, contam um pouco da história de alguém, não é? Você abre a sua lista e entre Bon Jovi, Radiohead, Marcelo Camelo ou John Frusciante, você acaba mesmo no Roberto Carlos.
Ah, o Roberto Carlos! 
Como ele pode entender tão bem o universo feminino e escrever e cantar tudo o que queríamos ouvir?
E lá estava eu, na cozinha, fazendo a janta e ouvindo Roberto Carlos...
Obrigada Mamãe por me ensinar a ouvir as suas músicas!

4 de jun de 2011

Depois da Enchente


Já não me sinto tão mal em relação ao que disse pra me
manter aqui
Tão longe do seu olhar
Sempre a me criticar
E se eu disser que não dói tanto assim
saber que já não sou o motivo pra te fazer sorrir
nem quem segura a sua mão
quando já não é preciso dizer mais nada
E a vida segue pra mim
Afinal, as contas vão chegar
e meu endereço elas sabem de cor
e você também deve saber
talvez resolva aparecer
E se eu disser que não dói tanto assim
saber que já não sou o motivo pra te fazer sorrir
nem quem segura a sua mão
quando já não é preciso dizer que eu não entendo
não entendo (9x)
você
não entendo
não entendo você
Imagine então se nada mais pudesse nos prender
e eu de fato conseguisse
Enfim viver como deveria ser


Antes da Enchente


Não foi por mal nem sei porque
Voltar atrás, não sou capaz
Pra onde ir?
Pra quem sorrir?
O que me diz de ser feliz?
Então não vai, não me destrói,
Não vai mais ter uma outra vez,
Não vou chorar,
Então vem dançar,
me leve pra qualquer lugar
"Apague a luz, vamos dançar
E esquecer enquanto for durar"
Será tão triste quanto seu olhar?
Será tão forte quanto o seu olhar?
Não há ninguém como você
E só você me faz sorrir
Já não consigo nem lembrar do mundo antes de você
Antes do sol, da chuva, antes de você.