4 de jun de 2011

Depois da Enchente


Já não me sinto tão mal em relação ao que disse pra me
manter aqui
Tão longe do seu olhar
Sempre a me criticar
E se eu disser que não dói tanto assim
saber que já não sou o motivo pra te fazer sorrir
nem quem segura a sua mão
quando já não é preciso dizer mais nada
E a vida segue pra mim
Afinal, as contas vão chegar
e meu endereço elas sabem de cor
e você também deve saber
talvez resolva aparecer
E se eu disser que não dói tanto assim
saber que já não sou o motivo pra te fazer sorrir
nem quem segura a sua mão
quando já não é preciso dizer que eu não entendo
não entendo (9x)
você
não entendo
não entendo você
Imagine então se nada mais pudesse nos prender
e eu de fato conseguisse
Enfim viver como deveria ser


Nenhum comentário: