31 de mar de 2011

Your Legs Grow - e me ajudam pra eu não cair


If you were here
Baby we'd increase the dose
There was no fear
In my room when we got close
Call me anytime you've got a ghost

You're the only person in the world
I feel that way about
And if you move off to the side
I'll get swept back out
Where it's cold but not that deep
Cos your legs grow
Cold but not that deep
Cos your legs grow

There's a lot that rises up
From the bottom of the lake
And its beam has hit me hard
Now i'm wide awake
Where it's cold but not that deep
Cos your legs grow
Cold but not that deep
Cos your legs grow

If you were here
Baby we'd increase the dose
There was no fear
In my room when we got close
Call me anytime you've got a ghost



(Estava eu ouvindo Nada Surf antes de dormir, quando ouvi essa música, que por sinal já ouvi milhões de vezes na vida, parei e pensei: "OMG, ela é quase o txt que escrevi hj!" por isso resolvi colocá-la aqui. Quando eu digo que a música não está me ajudando...)

não solta da minha mão

Tenho saudades de quando eu achava que sabia o que queria. Quando eu achava que, pelo menos uma boa parte da minha vida, aquela que a gente imagina na infância/adolescência; de se formar, trabalhar, namorar, casar e ter uma linda casinha com flores, filhos e um cachorro, já estava resolvida. Tinha uma segurança falsa. Mas para mim, na época, era uma segurança.
Vem os problemas e por algum motivo que talvez não seja o mais importante, mas somado à todos os outros, o chão desaba numa cratera obscura. Tentar ficar em pé parece fundamental para não cair junto com o chão.
Por meses fui tentando ficar de pé. Escorregava, voltava, escorregava, voltava. Até que consegui, por mim mesma, manter-me em linha reta e não mais cair.
Mas o equilíbrio é sem dúvida a parte mais difícil de se aprender na vida. Muitas coisas podem afetar esse equilíbrio e te fazer cambalear ou até mesmo cair. Depois de um ano e meio equilibrada, eis que surge algo tentando me fazer cair. Gritando "Saia desse equilíbrio! Caia e viva um pouco mais suas emoções!"
Não que não se viva emoções quando se está equilibrada, mas ao tombar da corda bamba o frio na espinha é instantâneo e nunca se sabe o que estará lá embaixo.
Me sinto perdida. Muitas vezes querendo descer por mim mesma, muitas vezes querendo me agarrar a qualquer ponto que me traga a segurança de volta para de jeito nenhum me deixar cair.
Os hormônios não me ajudam, as músicas não me ajudam e a corda balançando a todo momento também não me ajuda, muito pelo contrário. Me faz rever o tempo em que escorregava. Me faz pensar nesse tempo em que fiquei de pé. Me faz ter náuseas, dor no estômago, tonturas repentinas e também alguma felicidade. Essa vem ao saber que quando cair, alguém estará lá pra me ajudar a ficar de pé. Alguém amortecerá minha queda. Mas nem sempre essa certeza aparece. Ela vem e vai de uma maneira tão sutil, que as vezes fico me perguntando se ela realmente esteve lá, se por acaso, no meu desespero, imaginei-a segurando minha mão.
Por enquanto me seguro naqueles pequenos pontos de segurança. Mas me sinto zonza, cambaleando e com medo de cair.

10 de mar de 2011

stalker

facebook, twitter, orkut, blog, fotolog, msn, gtalk, formspring...
midias (anti) sociais que nos põe a exposição de qualquer um a qualquer momento.
Meu nome está em 15 listas do twitter, a maioria de pessoas que eu nunca tive contato. Até esse momento tenho 535 amigos no facebook e tem dias que não acho uma alma pra ir a praia ou simplesmente tomar um café.  Não estou reclamando, não acho ruim. Só fico pensando na capacidade das pessoas "seguirem" a vida da outra. Querer saber, querer participar, opinar, ajudar pessoas que nunca viram na vida.
E a vizinha da porta da frente, você conhece? Você já a convidou pra tomar um café e conversar, falar de filmes, livros, música, da sua vida? Perguntar o que ela faz, do que ela gosta e mostrar o clip novo do Radiohead?
Paredes se tornaram bloqueio muito maior que distância. Conversar e conhecer pessoas frente a frente torna-se cada dia mais complicado.
É, a vida está ficando difícil.
Felizes os que teclam, os que postam e os que estão OnLine.

4 de mar de 2011

Lovers Are In Trouble


Lovers are in trouble
And these troubles have no end
They come alone and in couples
And their forms are different
Everyone's all alone in this lonesome town
I just can't see anyone around

Lovers aren't laid down on their confy, cousy beds
No one talks to each other
They're too busy taking meds
And I just don't know what to do without you
I just don't know what the hell I do

I came from a place where lovers remain lovers
And they love until the end
They love, and love each other
They don't follow any trend
They just don't really want
They just don't really care about

Saying "I'm (so) sorry"
I'm telling I'm sorry

For not being who you want
Not being who you care
I'm not the one you love

Oh, baby, I'm (so) sorry

For not being who you want
For not being who you love
For not being who you care

I don't care
About being perfect all the time



quer ouvir? 

Lovers Are In Trouble - Beeshop