29 de mai de 2008

afro-criciumenses

Olha, em relação as cotas para afro-descendentes nos vestibulares ainda tenho muito o que ler para omitir uma boa opinião. Preciso saber os prós e contras sobre a atuação das mesmas.
Agora cotas em concurso público municipal? WTF****?????
Fui abrir o edital do concurso público municipal da minha cidade (Criciúma - SC) para fazer a inscrição para o meu irmão. Qual foi a minha surpresa quando eu vi que das 7 vagas destinadas ao cargo de dentista, 1 está reservada aos portadores de necessidades especiais. Ok. 2 são reservadas aos afros-descendentes, ou afro-brasileiros, como está descrito.
Tá, eu não entendi.
Alguém me explica?
Qual a diferença entre um afro-brasileiro e um branco-brasileiro? Se o afro-brasileiro teve condições de prestar uma faculdade de odontologia, está formado, às vezes já trabalhando, por que ele deve ter vagas especialmente reservadas a sua "raça"? Porque primeiro que na minha opinião não deve haver uma classificação de raças, somos todos seres humanos e ponto final. Mas isso já alonga muito uma discussão.
Mas eu queria entender mesmo, qual a diferença? Meu irmão é formado em uma universidade particular do RS e vai concorrer ao cargo com um amigo, afro-criciumense que se formou na mesma universidade. Qual a diferença entre eles? Por que o afro-criciumense tem vaga diferenciada?
E isso ocorre em todos os outros cargos de curso superior do mesmo edital.
Alguém me explica?

Nenhum comentário: